Posts

Quando se fala em sistema de cobertura zipada,  a estanqueidade é a principal vantagem. No entanto, o sistema apresenta vantagens adicionais como a utilização de uma cobertura com baixa declividade. Neste caso, a otimização do espaço do galpão é seu principal ganho. Este ganho pode ser medido pela área cúbica efetiva da edificação. Uma cobertura […]

O momento atual requer uma avaliação das oportunidades de redução de custos e aumento de produtividade, contudo principalmente sem sacrificar o nível de serviço ofertado.

Precisamos pensar na PRODUTIVIDADE como fonte de satisfação de nossos clientes, desta forma devemos idealizar nossas instalações como condição necessária para atendimento de nossas operações, analisando os aspectos de eficiência e eficácia, com ênfase nas atividades internas, processos, tempo, recursos, fluxo de produtos e espaço.

Dada sua importância, a necessidade de aumentar a produtividade em armazéns fez com que nos últimos tempos a intralogística desse lugar A Nova Geração da Logística, que de maneira simplificada é a gestão do fluxo de movimentação interna de materiais, arquitetura do armazém e automação alinhados aos processos logísticos, onde destacamos os ganhos com a otimização, performance, qualidade da operação, entregas rápidas, elevação do índice de satisfação dos clientes e etc.

Automação & Galpão otimizados

A automação na movimentação de materiais é uma questão fundamental, pois se a movimentação e a armazenagem de materiais não agregam valor aos produtos, devemos melhorar a produtividade nesse processo de forma com que eles não “existissem”. Isto não é uma tarefa simples, a equação é complexa e o essencial é mantermos o foco no que de fato é aumentar a produtividade.
O investimento em linhas de Transportadores de roletes automatizados, Sistemas de sortimento de caixas – Sorters, Sistemas de armazenamento verticais – Mini-Loads, Linhas de separação de pedidos – Picking, são algumas da forma de ganho e aumento da produtividade com automação logística. A arquitetura do armazém também combinada com a automação nos leva a índices significativos, pois ao combinarmos ambos elementos o resultado é baixo investimento com auto retorno – ROI.
Há uma solução para cada tamanho e a modularidade Plug & Play empregada pela LOGSTORE® em suas soluções logísticas permite o cliente prever e contabilizar o aumento da produtividade, escalando o investimento necessário para curto, médio e longo prazo.

 

Artigo originalmente publicado na Revista Mundo Logística – Nº 61 – Novembro/Dezembro 2017

Compreender os tipos de prateleiras e sistemas de armazenagem disponíveis e como eles funcionam, vai ajudar você a escolher a solução perfeita adequada à sua necessidade! O tipo de produto, requisitos de utilização e equipamentos de manuseio também influenciarão no melhor projeto. Cada tipo de sistema é otimizável com base em suas necessidades.

O primeiro que entra é o primeiro que sai (FIFO), ou o último que entra é o primeiro que sai (LIFO) e baixo, médio ou alto giro dos produtos em estoque serão preponderantes para determinar a melhor escolha.

Separamos os principais tipos utilizados no mercado e qual a sua funcionalidade de modo a ajuda-lo na escolha do melhor modelo para o seu negócio:

Porta Palete Estático – Convencional

Porta Palete Estático – Convencional

  • Para baixa e média rotatividade;
  • Requer disponibilidade de espaço;
  • Alta quantidade de carga e descarga;
  • Exigência de corredores;
  • Menor capacidade, mas, com o menor custo;
  • FIFO.

 

 

Sistema dinâmico: Aumento de capacidade em até 60%

  • Sistema dinâmico- Aumento de capacidade em até 60%Excelente para alta movimentação de paletes;
  • Opera com quase todos os tipos de empilhadeiras;
  • Movimentação sem exigência de energia elétrica;
  • ECOLÓGICO – Livre de Carbono.

 

Sistema Drive-in / Drive-Thru

  •  Sistema-Drive-in-Drive-ThruArmazenagem para altos volumes;
  • Boa escolha para baixa quantidade de SKU’s e alta atividade;
  • Operacional para diversos tipos de empilhadeiras;
  • LIFO.

 

 

Porta Palete de Dupla Profundidade

  • Porta Palete de Dupla Profundidade-Recomendado para baixa e média rotatividade;
  • Requer paleteira com garfo telescópico de dupla profundidade;
  • Armazenagem de alta densidade;
  • LIFO.

 

 

Cantilever

  • Cantilever-Ideal para produtos longos;
  • Alturas e larguras ajustáveis;
  • Armazenagem possível em um ou ambos os lados;
  • Perfeito para materiais de construção, materiais laminados e etc.

 

 

Estanterias móveis

  • Estanterias móveis-Estanterias deslizantes sobre trilhos;
  • Economia de espaço e apenas um corredor necessário;
  • Grande capacidade de armazenamento.

 

 

Flow-rack

  • Flow-rackSistema de rodízios – menor tempo de picking e de reposição de itens;
  • Perfeito para linhas de separação de pedidos;
  • Operado em conjunto com sistemas de paletização;
  • FIFO.

 

 

 

Push Back

  • Push BackIdeal para alta movimentação dos paletes;
  • Opera com quase todos os tipos de empilhadeiras;
  • Carregamento e descarregamento frontal – LIFO;
  • Até 10 paletes de profundidade.

 

 

Armazenagem Automática

  • Armazenagem automáticaControle Computadorizado;
  • Produto vem até você;
  • Ergonômico;
  • Melhora a capacidade em aproximadamente 60%.

 

 

 

Lembre-se:

Disponha de um consultor para que possa analisar e dimensionar suas necessidades de acordo com cada solução.

Quando uma empresa decide fazer a construção de sua sede ou opta por alugar um espaço já existente temos inputs diferentes para resolver o mesmo problema. O briefing de projeto para construção de uma edificação nova tem itens que levarão a uma solução final atendendo todas as funcionalidades necessárias à empresa, obedecendo fluxos importantes para a realização do trabalho diário nesta. Na hipótese de locação de um espaço já existente temos algumas informações que norteiam o projeto de implantação, limitando algumas decisões que podem colocar em risco o andamento da rotina da empresa.

Nas duas situações citadas acima um estudo de layout bem feito é a solução para termos o sonho de uma nova empresa transformado em realidade. Muitas construções que não consideram este estudo de ocupação anteriormente podem comprometer seriamente a produção da empresa e a qualidade de vida de seus colaboradores.

O layout é o arranjo físico de equipamentos e pessoas dentro de uma empresa que deve ser projetado de forma a alinhar os processos, proporcionando maior produtividade e melhor qualidade do ambiente de trabalho, oferecendo maior bem estar aos funcionários. Um layout considera uma série de aspectos no seu desenvolvimento, entre os principais podemos citar:

  • Funcionalidade;
  • Acessibilidade;
  • Ergonomia;
  • Iluminação;
  • Ventilação;
  • Temperatura;
  • Níveis de ruído;
  • Comunicação entre os setores;
  • Melhor aproveitamento de área;
  • Fluxos de funcionários e mercadorias;
  • Previsão de expansão de áreas;
  • Melhor posição das instalações sanitárias;
  • Melhor posicionamento de equipamentos.

Layout Industrial

O layout industrial exige um levantamento prévio dos tipos de equipamentos que serão utilizados para definir o espaço necessário para a operação dos mesmos. O posicionamento dos operários e sua interface com os equipamentos deve ser analisado para que possa ser projetado um espaço de trabalho confortável e seguro, evitando que ocorram acidentes de trabalho.

Para o desenvolvimento deste trabalho o empresário deve contar com o apoio de um analista de OSM (organização, sistemas e métodos) e de um arquiteto. O analista saberá melhor entender o processo de produção industrial e traçar planos para o novo layout e o arquiteto, com conhecimento do espaço a ser ocupado ou projetado, fará a implantação do processo industrial desenhado na edificação. O levantamento de dados é o primeiro passo do trabalho, e deve conter:

  • Relação de materiais utilizados em cada etapa produtiva;
  • Quantitativo de máquinas, suas dimensões  e capacidade produtiva;
  • Quantitativo de operários e sua capacidade produtiva, considerando alternância de turnos e taxa de absenteísmo;
  • Programa de produção, com capacidade atual e expectativa de crescimento;
  • Relação de cada operação com descrição do maquinário e dos operários envolvidos;
  • Intervalos de tempo entre as operações.

Layout Logístico

235 - Benicio_ORIENTE FARMA - ANT R2-Model

 No layout logístico, a estrutura porta-pallets é mandatória e quando o estudo é feito antes da construção e atrelado ao desenvolvimento do projeto arquitetônico, ela define a modulação de pilares que fará com que o galpão fique otimizado e com melhor aproveitamento de área. Esta estrutura pode ter variação de largura e altura, que depende do tipo de produto a ser armazenado, e o corredor entre estas deve ser definido levando-se em consideração o tipo de empilhadeira a ser utilizado.

As empilhadeiras exigem um corredor mínimo para fazer seu percurso e conseguir girar o garfo para pegar o pallet. Quando não conseguimos adequar a modulação de pilares a esta estrutura com os corredores necessários pode ocorrer perda de área e o empresário pode pagar por um espaço que não utiliza efetivamente.

 O trabalho de uma consultoria logística é desenvolvido primeiramente levando-se em consideração itens como:

  • Tipo de produto a ser armazenado, suas dimensões e tipo de pallet a ser utilizado;
  • Período de armazenagem de cada produto;
  • Localização dos produtos estocados considerando logística interna (recebimento/expedição);
  • Localização das áreas estáticas;
  • Planejamento da linha de recebimento e expedição (priorizando a linha reta), com corredores na direção das portas das docas;
  • Tipos de equipamentos a serem utilizados nos processos internos, tais como: empilhadeiras, esteiras, flow-racks, etc;
  • Áreas de conferência e embalagem;
  • Ciclo de vida dos produtos;
  • Expansão da área de estocagem.

O arquiteto colabora com a implantação da logística projetada, fazendo uma análise global dos dados apresentados e verificando item por item, sua aplicabilidade no espaço em questão. Em primeiro lugar projeta o posicionamento e espaçamento dos porta-pallets de forma a proporcionar o melhor aproveitamento do galpão como um todo, levando-se em conta a estrutura, o tamanho do corredor ideal e demais interfaces como saídas de emergências, posição de extintores, entre outros. A compatibilização executiva feita pela arquitetura é imprescindível para obtermos uma análise multidisciplinar e conseguirmos visualizar todas as interferências, propondo soluções para as mesmas.

Outro item importante a ser definido é como será feito o nivelamento das docas, se por equipamentos externos ou embutidos. Neste último teremos impacto no piso do galpão pois será necessário um nicho para conter este equipamento. A localização da expedição e do recebimento de mercadorias tem influência também nesta decisão, pois não é incomum o uso de diferentes tipos de veículos para cada uma destas operações, demandando diferentes soluções para nivelamento das docas.

A iluminação zenital é um item que também merece atenção, pois ela deve ser definida levando-se em conta o layout do galpão. Na compatibilização das disciplinas deve-se analisar se a solução de cobertura está adequada à operação da logística do galpão.

Layout Atacado e Varejo

Lojas de atacado e varejo também precisam de estudos detalhados de layout, nestes casos com impacto direto nas vendas. O layout para edificações destinadas ao comércio é visto como ferramenta estratégica de marketing, onde estudos avançados são realizados periodicamente traçando os perfis dos consumidores e como se portam no momento das compras.O posicionamento dos produtos em um ambiente que envolva o cliente e ofereça mais do que ele procura é essencial para influenciá-lo no processo da compra. Através de técnicas de layout observamos que são obtidos melhores resultados para determinados produtos e até melhor posicionamento da loja frente a seus concorrentes.

O espaço da loja para que seja propício a favorecer as vendas, além do posicionamento estratégico de alguns produtos, deve ter  como premissa principal o conforto dos clientes. Para isso devem ser observados os seguintes itens:

  • Facilidade de acesso;
  • Corredores amplos, visando o melhor fluxo de circulação;
  • Sinalização indicativa;
  • Exposição de produtos organizada;
  • Estoque acessível somente aos funcionários para segurança da loja;
  • Áreas de serviço e administrativa somente acessível e visível aos funcionários da loja;
  • Área de caixas confortável de forma a evitar filas nos corredores de compras.

Layout Corporativo

 276-Planta Humanizada OPÇÃO 02

No ambiente corporativo é onde ouvimos com maior frequência o termo layout. A empresa acaba de adquirir uma sede nova ou está iniciando o novo projeto da mesma e todos os colaboradores já querem saber, e opinar, onde será seu novo local de trabalho. Como a jornada nos escritórios acontece durante mais de oito horas por dia, pelo menos cinco dias por semana, o local onde ficará a estação de trabalho é realmente muito importante para cada trabalhador e interfere diretamente na sua produtividade.

 Algumas pesquisas de satisfação feitas internamente nas empresas demonstram a importância deste item. Observamos algumas situações de promoção onde o funcionário recebe um aumento simbólico ao assumir maiores responsabilidades, mas recebe o direito de ter um local de trabalho privilegiado, com uma mesa maior, mais bem localizada e com espaço para se reunir com sua equipe. A hierarquia em alguns lugares é medida pelo tamanho da mesa ou da sala que a pessoa ocupa.

 Na contramão do mercado corporativo tradicional as startups e algumas empresas de tecnologia já consolidadas utilizam outro estilo de layout. Com espaços amplos para descanso e pausas no trabalho, as estações são todas iguais e não se vê a hierarquia através do mobiliário, é um outro modo de trabalhar que se reflete no layout. Novamente percebemos a importância deste estudo para incorporar os valores da empresa e garantir a eficiência no trabalho.

 1PAVTO - IMAGEM03

Acontece também em alguns projetos a adaptação do espaço existente, onde os arquitetos, com a avaliação do ambiente de trabalho, projetam mudanças no layout gerando ambientes mais confortáveis, que melhoram a circulação, são mais favoráveis à comunicação e contribuem para a interação entre os funcionários.

 Não se sabe ao certo o quanto os empresários perdem anualmente com a redução da produtividade de seus colaboradores, mas podemos afirmar que os estudos de layout para ambientes de trabalho, sejam indústrias, galpões, hipermercados ou lajes corporativas contribuem para que a empresa alcance melhores resultados, tanto financeiros quanto operacionais. A preocupação com o conforto dos usuários e a qualidade de vida nas empresas além de ser primordial para o crescimento destas, promove naturalmente a retenção de taletos e aumenta a eficiência e a qualidade do trabalho.